sábado, 25 de julho de 2009

memórias de uma oficina e boas lembranças - última parte

Chegou o nosso último encontro. As meninas estavam debruçadas sobre os livros e as receitas, totalmente envolvidas com a literatura. Fiquei muito feliz. O sol nos convidava a sair da sala e assim fizemos. Arrumamos um cantinho para uma pausa, um relaxamento e a audição de textos com os olhos fechados.
Um deles dizia assim:

é preciso ler com os olhos que estão nas pontas dos dedos. Para entendermos um livro, temos que passar a mão na pele do papel, sentir os contornos das letras e, depois, imaginar o que está além da casca das palavras. Toda palavra espera, dentro dos livros para ser tocada. Ao tocarmos uma palavra com os olhos do sentimento, ela também nos toca. É por isso que sei ler. Porque não tenho deficiência em sentir. Ler olhando o texto sem sentimento é ser cego por dentro. *

Lemos também textos que falavam de ervas e especiarias, (estes já de olhos abertos) suas propriedades nutritivas e relevantes para nossa saúde. Descobrimos os poderes da salsinha. Resolvi fazer com os ingredientes restantes na geladeira uma mousse de salsinha. Segue a receita:

MOUSSE DE SALSINHA

Ingredientes

3/4 de xícara de creme de leite
2 colheres de sopa de maionese
3 colheres de sopa de cream cheese
1 ramo grande de salsinha fresca
2 dentes de alho
Sal a gosto
1 pacote de gelatina incolor hidratada

Modo de fazer

Bata todos os ingredientes no liquidificador.
Coloque a gelatina e mexa com a colher.
Despeje em uma forma untada com azeite e
coloque para gelar por duas horas.

Ótima para passar no pão, em sanduíches e torradas.

Para finalizar nossa oficina de literatura com sabor, preparei um divino caldo de abóbora. Alice me ajudou com a cebolinha e a colocar a abóbora para cozinhar. O restante fiz sozinha porque elas não largavam os livros e cadernos... O que me proporcionou enorme satisfação e alegria. A magia do encontro entre a literatura e a cozinha estava ali, na cantina da escola Dom Velloso, com cheiros e gostinho de quero mais.

* Este texto é do escritor mineiro Adriano Bitarães Netto, está em um livro recheado de maravilhosas ilustrações, chamado Asa da Palavra, da Mazza Edições.

Um comentário:

Coloque seu tempero aqui: