sábado, 26 de setembro de 2009

tesouros

Quando tesouros são receitas, eles são menos claros, menos distintivamente lembrados do que quando são objetos tangíveis. No entanto evocam um sentimento tão vívido _ quer dizer, para alguns de nós, que consideram a cozinha uma arte, para nós que achamos que um modo de cozinhar pode produzir algo similar a uma emoção estética. Que mais se pode dizer?


Esta citação retirei do livro: O livro de cozinha de Alice B. Toklas. Um livro com memórias de Gertrude Stein e Alice B. Toklas sua companheira por longos anos e uma cozinheira de mão cheia. Conheci este livro durante minha pesquisa para a monografia e me encantei. Ele é famoso pela receita de bolo de haxixe, que deu muita confusão na época e traz divertidas histórias entremeadas às mais de trezentas receitas.
Vale a leitura.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Torta de couve flor do Ernesto

Meus queridos, peço desculpas pelo pequeno sumiço. É que estou as voltas com um curso de desenvolvimento e gestão de negócios em torno do artesanato e daí que o tempo livre que já era escasso, escafedeu-se de vez.
Neste curso fiz novos amigos, artesãos e artistas talentosos, gente que tem dificuldades com o artesanato muito parecidas com as minhas, um gosto pela arte e nossas afeições rolaram rapidamente. É um grupo super especial. Nossas conversas e práticas em torno da arte, do artesanato e do design tem gerado novidades em produtos bacanérrimos. Estou muito feliz em conhecer essa turma e é claro, rolam receitinhas também.
Essa que vos escrevo hoje provei um último naco tirado de uma vasilhinha levada ao nosso passeio pelo Inhotim. Uma leve gostosura. Foi uma tarde divertida e proveitosa. Aquele lugar é mesmo maravilhoso. A receita do lanche é de Ernesto, artista das palavras e da cerâmica e pelo visto, da culinária também!
Segue aí:

Torta de couve flor

Ingredientes:
1/4 de couve-flor bem bonita picada, cozida
e logo depois resfriada dando um choque térmico
para parar o cozimento.
3 ovos
1/2 xícara de óleo
1 xícara e meia de leite
9 colheres bem cheias de farinha de trigo
1 colher de margarina
1 colher de sopa não cheia de fermento em pó
1/2 xícara de parmesão ralado
1/2 cebola média ralada

orégano a gosto
cebolinha picadinha
e outras ervinhas que você gostar

Modo de fazer:
Bater todos os ingredientes no liquidificador
ou batedeira, menos a couve flor que você irá
colocar cuidadosamente depois.
Deixar as ervinhas frescas por último.
Coloque em tabuleiro untado e asse em forno médio
por 30 minutos.
Ah, por cima, coloque fatias finas de queijo minas.

Você pode variar utilizando outros legumes.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Corpos subjetivos em espaços móveis


Estréia hoje a instalação performática do Grupo Zona de Interferência. Dani, meu companheiro há quase sete anos faz parte do grupo. Gosto das propostas do Zona e o último espetáculo: De quem é meu espaço foi muuiito bom! Este será também. Vale conferir pra quem é de Beagá. Deixo o release com maiores informações:

O Grupo Zona de Interferência estréia dia 11 de setembro o trabalho Corpos Subjetivos em Espaços Móveis, que questiona a forma como nos relacionamos com os espaços públicos e privados.

O grupo, fundado em 2006, utiliza-se de técnicas da performance, dança, teatro e vídeo, para construir uma reflexão sobre modos de vida na sociedade contemporânea.

As apresentações acontecerão no Centro Cultural da UFMG, Av. Santos Dumont 174, nos dias 11, 12, 13, 18, 19 e 20 de setembro, sextas às 20 horas. Sábados e domingos às 19 horas. Os ingressos custam R$ 8,00 a inteira e R$ 4,00 a meia. Alunos do Programa Arena da Cultura e dos Projetos Sociais da Prefeitura pagam apenas R$ 2,00.

Maiores Informações pelos telefones 3409-1090 ou 8833-1377.

sábado, 5 de setembro de 2009

a Torta de cebola

Esta receita minha mãe fazia nas festas de fim de ano lá em casa, digo, apartamento. Nesta época, morávamos bem no centro de Belo Horizonte. Em frente ao shopping cidade(ali, havia um grande estacionamento), no edifício Senhora do Carmo. Nasci e cresci em apartamento. Deve ser por isso que gosto tanto de casas. Hoje me considero uma privilegiada em morar num apartamento com área privativa e jardim.
As festas lá em casa eram ótimas porque éramos, eu, mamãe e vovó e quando os tios vinham com as famílias, a nossa casa era só alegria!
Esta receita de Torta de cebola é uma delícia, lembra uma pizza e é facil de preparar:

Torta de Cebola

Massa:
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
2 colheres de óleo
leite para amolecer a massa
Misturar os ingredientes com as pontas dos dedos e amolecer com leite até o ponto de abrir a massa com um rolo.
Recheio:
1 cebola grande picada em rodelas finas
1 colher de manteiga para dourar a cebola
Molho Branco:
Torrar duas colheres de farinha de trigo em uma colher de manteiga e acrescentar aos poucos meio litro de leite. Depois, dissolver uma gema no creme e colocar um pires de queijo parmesão ralado. Se gostar, acrescente salsa e cebolinha picadinhas.
Como armar a torta:
Abrir a massa em uma forma untada e por cima da massa colocar a cebola dourada e o molho branco por cima. Salpicar queijo ralado, o cheiro verde a gosto e uns pedacinhos de manteiga por cima.
Coloque em forno médio e assse por 30, 40 minutos.

Muito bom!!

Quando eu comia desta torta, não gostava das cebolas. Ficavam todas no canto do prato. Hoje a-do-ro cebolas!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Como água para chocolate

Este livro, dividido em doze capítulos, todos tem como título uma receita de família. E tem um subtítulo que a-do-ro: Romance em fascículos mensais com receitas, amores e remédios caseiros. A narradora nos conta uma história de amor através da cozinha. Vai descrevendo o modo de preparo dos pratos e contando as histórias, envolvendo as personagens. É como um conto de fadas, cheio de tramas impossíveis e românticas. Por isso gosto tanto dele...rs:)

A autora é Laura Esquivel, a obra virou best seller e o filme de mesmo nome foi sucesso nas telonas, sendo premiado no festival de Gramado em 1993. Curiosidade: O diretor do filme era marido da autora. Valem a leitura e o filme. Não sei se o encontramos em dvd e já sei que há uma tradução para o livro, pela Editora Martins Fontes.

Segue uma citação que gosto muito e está em uma parte do meu livro junto com a receita de torta de cebola da minha mãe, uma homenagem à ela e à Tita, protagonista da obra, que chorava tanto ao cortar cebolas que as lágrimas viravam sal e temperava as comidas.

Gertrudis cerraba los ojos cada vez que daba um sorbo a la taza de chocolate que tenía frente a ella. La vida sería mucho más agradable si uno pudiera llevarse a donde quiera que fuera los sabores y los olores de la casa materna.

Bjus a todos.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Mousse de coco

Esta receitinha é das antigas. Está no meu livro, na parte das receitas do caderno da vovó. Levinha, uma delícia de sobremesa.

Mousse de coco

3 folhas de gelatina branca
l lata de leite moça
a mesma medida de coco ralado
3 claras em neve

Coloque a gelatina de molho em água fria por alguns minutos.
Escorra-a e dissolva em duas colheres de sopa de água fervendo.
Bata no liquidificador ou misture bem o leite moça com o coco e
a gelatina. Acrescente as claras em neve e mexa levemente.
Coloque para gelar em uma forma com um furo no centro.

P.S: Esta receita está escrita em papel timbrado do INPS,
onde vovó trabalhou um bom tempo, por volta dos anos 60, 70.

Dica: Você pode preparar uma calda de ameixas e colocar por cima.
HUUMM, deu água na boca...