segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dá licença, eu, eu posso respirar?

Tantas possibilidades existem na minha frente e eu aqui, inerte. Respirando fundo olhando pra dentro de mim, pensando como vai ser, por onde começar e me perco, entro em pequenos caminhos, estranhos, encontro caminhos sem sentido, perco-me. Atrapalho-me pra retomar, parece um engasgo, parece que fico preso a alguma coisa que não sei o que é, tenho a sensação de que sou incapaz de fazer, de seguir. Tenho medos, muitos medos. Já fui mais corajoso, eu sei.
Sinto-me como um passarinho preso na gaiola. Tenho sempre que dizer o que estou pensando o que estou fazendo, como fiz, fiz assim porque, se já fiz. Sinto como se alguém estivesse me olhando todo o tempo, me vigiando, me supervisionando. Estou continuamente atento a relógios e tempos supostamente perdidos.
Choro baixo, não me altero, não esperneio, nem grito, tenho mantido a calma. Há tempos não quero mais histeria na minha vida, tento manter a ordem, mas minha cabeça não consegue se habituar a pensar tão preso, tão racional com tantos porquês. E isso não é ser irracional. Quero pensar por pensar, quero a liberdade de nada fazer, quero sonhar sonhos irrealizáveis, preciso tentar. Sinto-me preso, meu choro é contido, minha raiva, guardada. Sei que isso não faz bem, mas, ele diz que eu brigo demais por pequenas coisas, que critico demais, será? Dá licença, eu, eu posso respirar?
Daí que me calo, às vezes, dou sorrisos falsos, finjo não ouvir, não entender perguntas, que são muitas. Estou distante, me afasto de cobranças no olhar, evito o corpo, ando sem vontade de amor.
Como pode um pássaro há pouco tempo numa gaiola querer cantar? Ou será que a sabedoria do passarinho é maior que a minha e ele canta pra se sentir livre? Preciso aprender a viver nessa gaiola e reaprender a cantar. Alguém me ajuda?

sexta-feira, 3 de junho de 2011

OFICINA DE MEMÓRIA CULINÁRIA



Estamos em fase de divulgação de nova data e horários pra Oficina de Memória Culinária que desta vez, acho que vamos conseguir fechar uma turma!
Partilho com vocês o cartaz e abaixo segue uma receitinha bem leve, rápida de preparar e muito saborosa que fiz dia desses no almoço.

Preparei peixe assado com batatas e banana e também abobrinha italiana com maçã verde e passas. Pois é, comidinha saudável, mas depois, de sobremesa, comi duas colheres de doce de leite uruguaio...divino!
Ai, ai...nada de arrependimentos, senão, engorda duas vezes mais, só de culpa...rsrs...:D

Segue a receita da abobrinha:

1 abobrinha tipo italiana média lavada
1 maça verde média
Uma porção de passas
Meia cebola cortada em tiras finas
Queijo parmesão ralado grosso
Seis folhas de rúcula
Orégano para salpicar
Molho shoyu e Azeite para regar
Sal a gosto

Modo de preparo:

Partir a abobrinha ao meio no comprimento e depois,
fatiar em pedaços de 1cm de espessura. Fazer o mesmo
com a maçã, tirando a parte central dos caroços.
Preparar um refratário retangular ou
redondo, como preferir. Regue com azeite no fundo,
sem exageros. Vá colocando as partes de abobrinha e
maçã alternadamente até completar toda a tigela.
Coloque as folhas de rúcula por cima, regue com
molho shoyu, mais ou menos umas duas colheres de
sopa, salpique as passas, as cebolas fininhas, o
orégano com parcimônia e o queijo ralado.
Regue com mais um fio de azeite, cubra o
refratário com papel alumínio e leve ao forno
baixo por 30 minutos ou menos.

Comidinha pra dois!