quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

PERNIL AO MOLHO DE VINHO

Vamos lá, mais uma receita divina como sugestão para a ceia de passagem de ano. Se na sua casa é tradição, vale a pena arriscar com esta receitinha...


PERNIL AO MOLHO DE VINHO


1 quilo de pernil
2 colheres de chá de sal
1 cabeça de alho picada
Pimenta do reino moída e limão
2 colheres de sopa de óleo de milho
1 cebola média cortada em rodelas finas
300 ml de vinho tinto seco
1 colher de sopa de farinha de trigo
200 gramas de bacon cortado em cubos
2 tabletes de caldo de carne
Pimenta calabresa a gosto

Modo de preparo:

Tempere a carne com sal, alho, pimenta do reino e limão. Deixe marinar por uma hora. Numa panela, refogue a carne no óleo e doure do dois lados. Frite o bacon em fogo baixo, acrescente a cebola e depois, coloque o vinho tinto com meio copo de água, formando um molho. Engrosse esse molho com a farinha de trigo. Para não embolotar, dissolva a farinha de trigo em um pouco de água.

Estas receitas da semana foram extraídas do livro que ganhei aqui em Pelotas e fiquei muito feliz!
Muito bonito e bem produzido, traz receitas de tradição de várias mulheres, algumas, figuras importantes no cenário da culinária pelotense. Chama-se: Pelotas à mesa. Da simplicidade ao sofisticado.

Numa próxima oportunidade, falarei um pouco mais dele por aqui.

No mais, desejo um ano novo realmente novo, com novas ideias, novos conceitos, sem preconceitos, com muito amor e luz em nossos caminhos e realizações de nossos desejos e conquistas. Conquistas de amor e amizade, conquistas valorosas!!
Um grande beiju a todos e agradeço a partilha desse ano de 2011 com as visitas de vocês por aqui. Que 2012 venha cheio de novas receitas ainda mais saborosas!!!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

LOMBO DE PORCO COM MOLHO DE AMEIXAS

Hoje a receitinha que foi ao ar na ondas da Rádiocom é para a noite de virada de ano. Dizem que é bom comer carne de porco, segundo as tradições porque o porco é um animal que usa o focinho sempre para frente... e é o que queremos, um ano novo pra frente, alegre, com muita luz nos caminhos escolhidos, olhando pra frente, seguindo os objetivos, correndo atrás de nossos desejos. Segue a receita:

LOMBO DE PORCO COM MOLHO DE AMEIXAS

Ingredientes:

1 lombo de porco de um quilo a um quilo e meio
2 cebolas roxas picadas
2 dentes de alho picados
1 lata de ameixas em calda
Suco de um limão
½ copo de molho de soja (shoyu)
2 tomates picados
1 tablete de caldo de carne
1 xícara de chá de água
1 copo de vinho tinto seco
1 colher de sopa de farinha de trigo
3 colheres de sopa de extrato de tomate
Sal e pimenta do reino

Modo de preparo:
Numa panela, coloque para cozinhar o lombo embebido em suco de limão, shoyu, metade do conteúdo da lata de ameixas, sal e pimenta do reino. Quando reduzir a quantidade de água, retire o lombo da panela e faça um refogado com a cebola, o alho e o tomate. Misture a farinha com o caldo de carne e coloque aos poucos, o vinho, o extrato de tomate e o restante da calda de ameixas.
Tampe a panela e cozinhe em fogo brando, acrescentando água, se necessário. Por fim, coloque as ameixas e deixe cozinhar por mais 10 minutos. Decore com ameixas e cerejas.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

PURÊ DE MAÇÃS

Esta receita é sugestão de uma amiga daqui de Pelotas para acompanhar o peru de natal.
Você vai precisar de:

PURÊ DE MAÇÃS

1 quilo de maçãs verdes
1 xícara de chá de açúcar
2 cálices de vinho branco
2 xícaras de chá de água
100 gramas de uvas passas brancas sem sementes

Modo de preparo:

Descasque as maçãs, retire os miolos e corte-as em cubos não muito pequenos.
Coloque-as em uma caçarola, leve-as ao fogo brando com os demais ingredientes, mexendo sempre, até obter a consistência de um purê, deixando que restem alguns pedacinhos das maçãs. Sirva em uma travessa bem bonita de vidro.
Decore com cerejas. Bom apetite!!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

MOLHO DE LARANJA PARA O PERU E COQUETEL MENINA MOÇA

MOLHO DE LARANJA

A primeira receita é para temperar o assado escolhido por você pra sua ceia; o chester, peru, pernil e a segunda receita é um bebidinha feita com pêssegos, um aperitivo para abrir o apetite antes da ceia, mas cuidado pra não abusar!

COQUETEL MENINA MOÇA

1 lata de leite condensado
A mesma medida de aguardente
6 metades de pêssego em calda
1 gaveta de gelo
Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva a seguir.

Não sei porque ele tem esse nome...é receita antiga que minha mãe adorava fazer. Está no meu caderninho de receitas de 1986 e estava no caderno dela de onde copiei pela primeira vez e o caderno dela data de 1966!!

MOLHO DE LARANJA

Você vai precisar de:
200 gramas de manteiga
300 ml de suco de laranja
150 ml de aguardente
1 colher de sopa de açúcar
5 colheres de sopa de vinagre de maçã
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Depois de 30 minutos que o assado está no forno, retire-o e banhe com a mistura da aguardente e metade do suco de laranja. Volte com o assado ao forno. Prepare a outra calda com o acúcar, o vinagre, a manteiga, o suco de laranja restante, sal e pimenta do reino a gosto. Leve ao fogo até ferver e despeje sobre a carne, deixando-o assar o tempo necessário até dourar.

Decore com pêssegos e ameixas pretas em volta do assado.

Prepare-se para os elogios e Bom apetite!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

um pouco de literatura mineira

A escrivã na cozinha


Só Deus pode dar nome à obra completa
— de nossa vida, explico — mas sugiro
Ao meio-dia, um rosal,
implica sol, calor, desejo de esponsais,
a mãe aflita com a festa,
pai orgulhoso de entregar sua filha
a moço tão escovado.
Nome é tão importante
quanto o jeito correto de se apresentar a entrevistas.
Melhor de barba feita e olho vivo,
ainda que por dentro
tenha a alma barbada e olhos de sono.
Sonhei com um forno desperdiçando calor,
eu querendo aproveitá-lo para torrar amendoim
e um pau roliço em brasa.
Explodiria se me obrigassem a caminhar por ele.
Ninguém me tortura, pois desmaio antes.
A beleza transfixa,
as palavras cansam porque não alcançam,
e preciso de muitas para dizer uma só.
Tão grande meu orgulho, parece mais
o de um ser divino em formação.
Neurônios não explicam nada.
Psicólogos só acertam se me ordenam:
Avia-te para sofrer — conselho pra distraídos—,
cristãos já sabem ao nascer
que este vale é de lágrimas.

Adélia Prado

Extraído do livro A duração do dia, Editora Record – Rio de Janeiro, 2010.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

BOLO DE CASCA DE ABACAXI

A sugestão de hoje que foi ao ar e ao vivo na ondas da Rádiocom 104,5 FM, é uma receita de bolo aproveitando as cascas de abacaxi que restam da ceia de natal. Muito usado para enfeitar e preparar pratos nas ceias, o abacaxi é uma fruta extremamente saborosa. Combinação perfeita com o tradicional peru. É uma fruta rica em vitaminas A, B e C e minerais como potássio, manganês e cálcio. Além disso, contém uma poderosa enzima, a bromelina, que segundo pesquisas recentes, pode ajudar na digestão e na redução de inflamações de muitas causas.
Vamos à receita:

BOLO DE CASCA DE ABACAXI

Você vai precisar de:

2 ovos
1 colher bem cheia de manteiga
2 xícaras de chá de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
2 xícaras de suco da casca de abacaxi

Afervente a casca de 1 abacaxi em um litro de água, por 20 minutos. Bata no liquidificador a casca, coe e reserve somente o caldo. Bata as gemas, junte o açúcar, a manteiga e aos poucos acrescente farinha de trigo e o suco da casca de abacaxi. Bata as claras em neve e misture junto o fermento em pó. Asse em forma untada e forno moderado por trinta minutos dependendo do tipo de forma e do seu forno. Depois de assado o bolo, perfure todo o bolo com um garfo e umedeça com uma xícara do suco restante.


Dica: Se você possui um jardim ou uma pequena horta, o bagaço que restou você pode colocar na terra, ela vai agradecer o adubo!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Farofa da Dona Jurinha

A receita culinária que esta semana foi ao vivo na Rádiocom 104,5 FM, é de tradição lá em casa, pena vovó não estar conosco mais e faz tempo que não como uma farofa gostosa como essa. Essa mistura das ameixas com os pêssegos fica tão saborosa! Coloquei carinhosamente o nome dessa farofa de Dona Jurinha.

Segue a receitinha:


Você vai precisar de:
1/2 quilo de farinha de mandioca branquinha crua
1 xícara (café) de vinagre
1 xícara (chá) de azeite
1 xícara (chá) de ameixas pretas picadas
1 xícara (chá) de pêssegos em calda picados
1 xícara (chá) de azeitonas verdes picadas
1 xícara (chá) de tomates picados em cubinhos sem sementes
Salsa e cebolinha frescas picadinhas a gosto
Modo de preparo:
Misturar levemente todos os ingredientes picados, o vinagre e o azeite, temperar com sal e um pouco de noz moscada ralada na hora. Coloque a farinha de mandioca aos poucos e misture levemente. Acrescente duas colheres de calda do pêssego em calda e misture novamente.
Sirva como acompanhamento na sua ceia de natal e pode rechear o peru ou o chester também.


Esta farofa é mais uma receita do meu antiguinho caderno e quem a preparava lá em casa no Natal era minha avó Juracy, por isso o nome carinhoso de Dona Jurinha.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Receitinhas gostosas da semana que passou...

LAGARTO JOGO RÁPIDO

Esta receita quem me ensinou foi minha tia Eunice, que tem sempre uma receitinha pra me contar e ofertar! Ela, como eu, gosta de praticidade na cozinha. Vamos lá:

1 quilo de lagarto em pedaços grandes
1 lata de molho pronto
1 copo de água
1 copo de cerveja preta
2 cubos de caldo de carne
Doure o lagarto com um pouco de óleo de milho ou canola já na panela de pressão. Coloque todos os ingredientes, misture e tampe a panela. Acenda o fogo, marque 30 minutos quando começar a sair o ar. Dê uma olhada, misture novamente e coloque mais quinze minutos. Pronto. Ah, uma dica pra quem não sabe, você pode abaixar o fogo, depois que começa a sair o ar, a pressão lá dentro da panela continua a mesma e você economiza gás.
É muito rápido, não? Prepare um bom purê de batatas e coma rezando, porque o pecado da gula vai aparecer!

A próxima receita é uma sobremesa:


STROGONOFF DE CHOCOLATE E NOZES


Esta delícia de sobremesa quem me ensinou foi uma querida, amada amiga que está morando em Ribeirão Preto junto de sua pequena e fofa Alice. Minha amiga também gosta de partilhar a cozinha e já fizemos comida várias vezes juntas. No meu livro, ela também está lá, participando e sendo companheira nas memórias de cozinha com uma sobremesa divina, a torta de limão. Hoje, vem pro blog a receita de strogonoff de chocolate e nozes que foi ao ar nas ondas da Rádiocom 104,5 Fm, Pelotas.
Simples de fazer, gostosa de comer, o crocante das nozes no meio do creme de chocolate... Bora pra cozinha preparar essa gostosura!

Ingredientes:

1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
3 ovos(separe as claras)
150 gramas de nozes descascadas e picadas
150 gramas de chocolate meio amargo picado
Leve ao fogo brando o leite condensado, as gemas, e o chocolate. Misture bem até que fique um creme homogêneo. Bata as claras em neve, acrescente o creme de leite sem o soro e as nozes. Misture levemente e coloque para gelar. Hummm... deu água na boca!

Ah e se quiserem conhecer um pouco mais sobre o trabalho da minha querida Letícia Andrade, ela tem um blog onde fala de sua história com o teatro e a dramaturgia: narrativadacena.blogspot.com. Vale conferir. Essa mineira tem talento!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

TORTA DE PALMITO

Esta torta de palmito está no meu caderno de receitas, caderno que data na primeira página o ano de 1986! Uau, nem eu tinha me dado conta que ele já tem 25 anos e está amarelado pelo tempo, particularmente cheia de manchas a página onde está anotada essa receita. Sinal que já foi folheada diversas vezes... E a letra...uma letra redondinha e pequena era a minha. Caneta esferográfica preta e o título da receita sublinhado de vermelho. Ah, esses cadernos...tantas recordações vem junto com a leitura das receitas...
Essa Torta de Palmito é muito prática, vovó e mamãe gostavam de preparar na cozinha lá de casa e ela fica uma delícia no dia seguinte. Cá está, igualzinho como anotada no caderno:

TORTA DE PALMITO

Bate-se no liquidificador; 3 ovos inteiros, 2 xícaras de leite, 1 xícara de óleo, 12 colheres(sopa) de farinha de trigo(rasas),sal a gosto, 2 colheres de sopa ou + de queijo ralado, 2 colheres de sopa rasas de fermento em pó. Depois de bem batido vira-se no tabuleiro bem untado.
Numa tigela pica-se: 1 lata de palmito, 6 tomates, 3 colheres de óleo, 1 colher de maisena, refoga-se tudo acima, ligeiramente. Depois espalha-se bem sobre a massa em colheradas e leve ao forno para assar.
Tempo mínimo de cozimento: 30 minutos.
Dica da June: Você pode mudar os ingredientes do molho, acrescentar ervilhas, frango desfiado, milho, cogumelos, enfim, o que te apetecer mais! Bom apetite! :)

sábado, 12 de novembro de 2011

Novas produções de livros de receitas

Novas produções saindo do forno... E esse forno tá quentinho, cheios de gostosuras: Mini-mini livros de receitas!!! Desenhos, gravuras e costura, tudo feito por mim, com muuuiito carinho e gosto. Quer conhecer de pertim? Apareça lá na Flia Pelotas
que vai acontecer no quadrado dia 15 de novembro. Estarei lá com os livros Memória Culinária: Coisa de Vó, os mini-mini livros e os deliciosos bolinhos CoisdiVó. Agora feitos com produtos orgânicos e sem adição de leite! Vai ter bolinho de cenoura, de mixirica(bergamota), integral de banana e passas, broa de fubá de milho e quiche de couve...hummm. já me deu água na boca só de escrever!!! Espero vocês lá! :)

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

LICOR DE LARANJA

As receitas dessa semana que foram ao ar pelas ondas da Rádiocom foram escolhidas, como se diz, a dedo, dentre inúmeras receitas de quitandas impressas no livro Quitandas de Minas - Receitas de família e histórias e que traz também receitas de bebidas e licores.

Escolhi um licorzinho que pode ser servido antes ou depois do almoço/jantar para pessoas especiais. O que também nos inclui, somos todos muito especiais, não? Segue a receitinha:
LICOR DE LARANJA

2 laranjas da terra (ou laranja umbigo)
600ml de aguardente
4 xícaras de açúcar
1/2 colher de chá de noz moscada ralada

Lavar as laranjas. Tirar as cascas e cortar em tirinhas. Colocar num recipiente de vidro, cobrir com a cachaça. misturar o restante dos ingredientes e deixar em repouso até o dia seguinte. Filtrar sobre o filtro de papel e guardar em garrafa bem fechada.
Aguardar oito dias antes de servir.

Tenho uma nova amiga aqui em Pelotas que vai gostar dessa receita! Ela prepara licores saborosos com gengibre, catuaba, morango, chocolate e otras cositas más. Ana Júlia Fortuna, vai dividir o espaço comigo na Flia Primeira Feira Autônoma Independente de Livros de Pelotas, que irá acontecer no próximo dia 15 de novembro no Quadrado. Vamos partilhar leituras, conversas e gostosuras! Mais informações sobre o evento Flia, basta clicar no link e querendo conhecer mais o trabalho e também o blog da minha amiga Rosaly Senra, autora do Quintandas de Minas, é só clicar também! Se ela não estivesse tão longe, em Belo Horizonte, a convidaria pra lançar o seu mais recente livro por aqui: Otto, sua primeira investida na literatura infantil. Sucesso, Rosaly! Bjus! Aguardamos a presença de vocês na Flia, dia 15 de novembro no quadrado aqui em Pelotas, RS!

SAUDADES TERNAS

Essa receita de biscoito quebra-quebra, tirei de um livro que gosto muito e vai sempre pra cozinha comigo quando quero preparar uma quitanda especial, mineira! Falo do livro: Quitandas de Minas - Receitas de família e histórias, organizado pela minha amiga Rosaly Senra. O livro é um deleite, com lindas imagens de deixar a gente com água na boca. As receitas são um convite a cozinha!

A receita foi escolhida com carinho, está escrito assim no livro entre parêntesis: do caderno da Vovó Naná. Então, se é receita de vó, precisa passar por esse blog aqui!

SAUDADES TERNAS

Ingredientes:

1/2 quilo de polvilho
1/2 quilo de açúcar
3 colheres de manteiga
4 gemas
Sal

Amassar bem todos os ingredientes e fazer os biscoitinhos do feitio que quiser. Colocar no tabuleiro e levar pra assar em forno regular.

Minha sugestão: Prepare um chá de melissa e coma com muita calma, saboreando, deixando ele derreter na boca...

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

CHÁ INDIANO MATINAL

Pra acordar o cérebro! Estimulante para a parte da manhã, pra aquelas pessoas que, como eu, estão em fases de estudos e lêem e escrevem muito e estão com a cabeça cansada...

A natureza quente do gengibre, da pimenta-do-reino e da canela melhora a circulação e envia mais sangue ao cérebro e por isso, nos sentimos mais despertos e alertas.

CHÁ INDIANO MATINAL

Ingredientes:

4 vagens de cardamomo
2 pedaços de canela em pau
4 grãos de pimenta do reino
2 colheres de chá de raiz de gengibre ralada na hora
600 ml de água
1 saquinho de chá preto
50 ml de leite de soja
mel para adoçar

Coloque as especiarias em uma panela com a água. Tampe e aqueça em fogo baixo por vinte minutos. Tire do fogo. Mergulhe o saquinho de chá preto e aguarde 3 a 5 minutos e retire-o. Acrescente o leite de soja e o mel e beba quente. Rende duas xícaras.

Obs: Se não gostas de leite de soja, coloque leite desnatado!


Ah, e se quiserem saber um pouco mais sobre as propriedades nutritivas e medicinais do gengibre, leiam também um texto que escrevi e foi publicado no e-cult.. Basta clicar aí no link e lá procurar por gengibre! Bjus a todos!!! :)

CHÁ DE ALFACE

As receitinhas dessa semana na Rádiocom 104,5FM foram de chás. Um chazinho pra dormir feito com folhas de alface!


CHÁ DE ALFACE

3 a 4 folhas de alface bem lavadas
300ml de água
2 galhos de hortelã fresca bem lavados

Cozinhe as folhas de alface na água em uma panela tampada durante 15 minutos, tire a panela do fogo e acrescente a hortelã. Deixe descansar durante 5 minutos. Coe e beba antes de ir para a cama.

Sobre a alface: Esta verdura tem ação sedativa, ajudando a acalmar a inquietação e a ansiedade e a induzir o sono. O chá de alface é, na verdade, uma receita inglesa antiga e famosa para combater insônia. A hortelã ajuda a contrabalançar o leve amargo da alface e faz desse chá uma bebida realmente saborosa para tomar antes de dormir.
Bons sonhos!!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

RECEITAS DESTA SEMANA NA RÁDIOCOM 104,5FM

As receitas desta semana na Radiocom, saíram do meu livro: Memória Culinária: Coisa de Vó. A primeira, é uma receita prática e saborosa. Gosto de preparar pratos únicos e pra acompanhar uma salada e folhas verdes variadas; alface roxa, verde, americana. Tempero tudo com azeite e sal e é uma perfeita refeição! Meu filho adora essa lasanha e já sabe preparar o molho que também pode servir pra outras massas: penne, espaguete, talharim, fica a seu gosto.

Aí vai:

LASANHA DE FRANGO AO MOLHO BRANCO

Ingredientes:

1 peito de frango grande temperado, cozido e desfiado
1 lata de milho verde
meio litro de leite
1 colher de sopa bem cheia de maisena
1 cebola pequena picadinha
1 colher de sopa bem cheia de manteiga
1 lata de creme de leite ou duas caixinhas
1 pacote de massa de lasanha pré-cozida
300 gramas de mussarela ralada em ralo grosso
Salsinha fresca picadinha e uma pitada de noz moscada ralada]

Modo de preparo:
Coloque a manteiga e a cebola numa panela e deixe a cebola
dourar em fogo brando. Acrescente o leite e a maisena já dissolvida
no leite. Vá mexendo até engrossar. Misture o peito de frango desfiado
e o milho verde sem a água. Coloque a salsinha picadinha e a pitada de
noz moscada. Prove e tempere mais se desejar. Desligue o fogo e acrescente
o creme de leite.
Molho pronto, agora é só montar a lasanha. Pegue um refratário, coloque
uma camada de molho, uma de massa outra de molho e mussarela e faça isso
até terminar o molho. Cubra com mussarela e leve ao forno para gratinar
a mussarela. HUmmm...bom dimais da conta, sô!



A outra receita do livro, é de uma grande amiga com quem adoro partilhar a cozinha. Ela preparou esse lombo num encontro em sua casa num dia claro de domingo, há alguns bons anos cá nas Minas Gerais. Minha amiga continua gostando muito de cozinha, virou banqueteira e faz deliciosos legumes desidratados. E eu que estou nesses dias passeando por aqui, minha terra natal, matando as saudades dos meus amores e amigos, preparando mais livros para levar ao sul, já nos encontramos e fizemos comida um dia inteiro e uma bacalhoada perfeita! Dia desses vou postar a receita por aqui com direito a imagens de deixar qualquer um com água na boca. Bom, chega de prosa e vamos à divina receita:

LOMBO AO MOLHO DE ABACAXI COM HORTELÃ E DAMASCOS

Ingredientes:

Lombo de porco de mais ou menos 2 quilos
Fatias de um abacaxi
200 gramas de damascos secos
12 dentes de alho
Um ramo de hortelã pequeno e galhinhos de alecrim
suco de um limão e sal
azeite para dourar

Deixe o lombo marinar por quarenta minutos a uma hora no suco de limão com sal.
Depois, doure o lombo em uma panela grande com um pouco de azeite e as cabeças de alho amassadas em pilão. Doure o lombo pelo menos duas vezes de cada lado.
Pegue uma travessa refratária ou um tabuleiro e unte com azeite e coloque o lombo.
Bata no liquidificador metade das fatias de abacaxi com o ramo de hortelã já lavado.
Despeje metade desse molho sobre o lombo e leve para assar em forno médio-alto embrulhado em papel alumínio. Após vinte minutos, vire o lombo, despeje o restante do molho, retire o papel alumínio e deixe assar por mais 40 minutos ou o tempo necessário de acordo com o seu forno pra que a carne fique macia e dourada.
Quando estiver assado e dourado, retire do forno, pique os damascos ao meio e enfeite
o lombo. Junte também o alecrim que dará um perfume especial à carne de porco.

Bom apetite!!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

PÃO DE ERVAS

Sou apaixonada por pães!! Eu e milhões de pessoas, né? De todos os tipos, de sal, de doce, integral, comum, recheado, sem recheio. Com cobertura, sem cobertura, com grãos e aveia... Pão é mesmo um alimento abençoado! Acompanha vários pratos, é versátil, pode ser torrado pra acompanhar patês e pastas, esmigalhado para uma farofa ou uma salada, enfim, uma maravilha!
Quando feitos em casa, o cheiro a invade e é inebriante! Tenho uma máquina de fazer pães e as vezes, a noite, coloco os ingredientes e programo pra assar pela manhã, é muito gostoso acordar com um cheiro de pão fresquinho pela casa! AMO PÃO!! Então, bora pra cozinha preparar essa receita que foi ao ar hoje na Rádiocom 104,5FM, Pelotas, RS!


PÃO DE ERVAS

Ingredientes;

1 colher e 1/2 de sopa de fermento biológico
1 colher de chá de sal
1 colher de chá de açúcar
1/2 xícara de leite morno
3 colheres de sopa de farinha de trigo

Prepare essa parte, que é o fermento do pão: Dissolva o fermento no sal e no açúcar, acrescente o leite morno e misture as 3 colheres de farinha de trigo. Deixe crescer.

3 xícaras de água morna
1/2 xícara de cebola crua picada
1 dente de alho
1 1/2 colher de sopa de margarina
1 ovo
1 colher de sopa de orégano
2 colheres de sopa de manjericão
1 quilo de farinha de trigo

Bata no liquidificador a água, a cebola, o alho, a margarina e o ovo. Junte a mistura do liquidificador ao fermento crescido. Acrescente o manjericão, o orégano e a farinha de trigo, aos poucos, até que a massa se solte de suas mãos. Sove bem. Modele os pães e deixe crescer até que dobrem de tamanho. Asse em forno quente até que dourem.


Assim que saírem do forno, prepare um café ou um chá, arrume bem a mesa de lanche com uma toalha bonita, um vasinho com flor, xícaras bem escolhidas e um bom pote de manteiga ou requeijão. Nossa... ninguém vai querer sair dessa mesa... rsrs...
Boa prosa e bom apetite!!!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

HAMBURGUER DE ABOBRINHA

Hoje a receita que foi ao ar nas ondas da Rádiocom 104,5Fm é econômica e pra quem não come carne ou, quem deseja incrementar o almoço!
Anote aí:

HAMBURGUER DE ABOBRINHA

Ingredientes:

4 xícaras de abobrinha tipo italiana ralada
2 dentes de alho
1 colher de sopa de maionese
8 colheres de sopa de farinha de trigo
6 colheres de sopa de farinha de rosca
Sal e salsinha a gosto
6 colheres de óleo de girassol para fritar

Modo de preparo:

Rale a abobrinha no ralo grosso, tempere com o alho e a salsinha.
Junte a maionese e misture. Acrescente a farinha de trigo, a farinha de rosca
e o sal. Misture. Com essa massa, modele os hambúrgueres. Frite o hambúrguer
dos dois lados em frigideira com óleo suficiente para não grudar.
Não gastamos nem dois reais com os ingredientes e rende dez hambúrgueres _ ô palavrinha feia, essa, viu?

Humm, como disse o meu amigo Zé Luiz, essa receita vai bombar!!! rsrs...:)

Uma dica: você pode trocar a abobrinha por cenoura ralada.

sábado, 15 de outubro de 2011

PARABÉNS PROFESSORES!

Hoje comemora-se o dia do professor. Parabéns é pouco pra desejar a esse profissional, onde também me incluo,um dia especial, um dia feliz, um dia com a sua família, com os seus amigos, um dia de descanso das salas de aula. Esse profissional que a sociedade acredita que deve ser mais valorizado e que o estado brasileiro não o faz. Professores são mal pagos, desrespeitados e desvalorizados pelos governos. Um país onde a educação vem sempre em segundo, terceiro plano, sei lá em que lugar estamos. A ganância desses políticos, banqueiros e empreiteiros não nos deixa desenvolver onde mais necessitamos: na educação. Numa educação para fazer pensar, para fazer sonhar, que os sonhos não envelhecem... numa educação que modifique a realidade desse país. A pequena imagem dos gatinhos é só uma sensação de aconchego, afago e carinho pra nós.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

BALAS DE COSTUREIRA



Antigamente, nos tempos da minha avó, não havia essa quantidade de balas e doces pras crianças, com tanta variedade de sabores, corantes e... conservantes. As balas eram feitas em casa, balas e pirulitos de melado, de açúcar e as vezes, um pouco de mel, umas gotas de menta ou baunilha e as mães ou avós mais criativas, colocavam um colorante, pra dar alegria às balas e encher os potes de vidro ou as mãos das crianças. Sim, sim, também havia as balas brancas de coco, aquelas que davam um trabalho danado de puxar e depois da massa esticada que tinha um brilho meio perolado, cortar os quadradinhos e esperar secar. Haja braço pra esticar as balas delícia!! Tradição que ainda resiste e vemos aos montes sendo vendidas em feiras e mercados. Que bom! Agora elas tem recheios de doce de leite, chocolate, nozes, morango, enfim, uma variedade de sabores pra acompanhar o "mercado" de guloseimas.

Hoje, a receita que foi levada ao ar na Radiocom 104,5 FM é "das antigas". Eu que me encanto pelas tradições e modos de se preparar comidas, tirei esta receita de um livro que amo de paixão e é minha "bíblia" em livros de receitas culinárias: Fogão de Lenha, de Maria Stella Libânio Christo. Este livro é especial por diversos motivos, primeiro porque meu exemplar tem uma dedicatória da autora, segundo porque ela é um doce de pessoa, uma vovó de cabeça branquinha, terceiro porque ela é uma referência quando se fala em comida mineira, quarto porque tive a rara oportunidade de conversar com ela numa tarde de maio, dia de santa rita, enfim, este livro tem meu carinho e apreço e eu poderia enumerar vários graus de importância dele. De lá retirei a curiosa receita de:

BALAS DE COSTUREIRA

E o nome é curioso porque o modo também o é. Veja

Você vai precisar de:

2 colheres de mel
meio quilo de açúcar
2 copos de água

Levar essa mistura ao fogo e mexer até dar o ponto de bala, que é quando gruda na ponta dos dedos, ou quando você joga um pingo dentro de um copo d'água e ele bóia.

Pegue um tabuleiro e encha esse tabuleiro com açúcar cristal, altura de 2 cm.
Pegue um dedal de costura limpo e faça diversos furos no açúcar. Derrame lentamente a calda nos furos e deixe esfriar. Depois de frio, balance o tabuleiro para que as balas se soltem. Você pode embalar em papel celofane colorido e distribuir pra criançada ou lembrar os velhos tempos e colocar num pote de vidro bem bonito e oferecer às visitas!




As imagens que você está vendo aqui foram feitas durante o Piquenique Cultural aniversário de 1 ano que aconteceu no último domingo na praça coronel pedro osório aqui em Pelotas. O evento reúne artistas de todas as áreas e retoma um hábito antigo e simples de se colocar a toalha na grama da praça, reunir família e amigos em torno de comidinhas e se divertir.
Beatriz Rodrigues, é historiadora e fotógrafa, moça de Rio Grande, que possui um olhar sensível pras coisas e pessoas. Escolhi essas imagens que ela capturou, pra seguir homenageando as crianças, essas figurinhas incríveis, estrelas que transformam as nossas vidas e que têm enorme poder nesse mundo. Viva as crianças!!! Viva, viva, viva!! :)



Você pode conferir o trabalho da Beatriz neste link: http://www.flickr.com/photos/bigatrice

terça-feira, 11 de outubro de 2011

LEVEM AS CRIANÇAS PRA COZINHA!

Amanhã, dia 12 de outubro, comemoramos o dia das crianças e de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil!

As receitas selecionadas pra Radiocom 104,5FM nesta semana serão em homenagem às crianças. E elas podem ir para a cozinha preparar essa receita de sorvete. Vão ficar surpresos com o ingrediente principal: Beterraba! Se as crianças da sua casa não comem beterraba(o que é uma dó, porque a beterraba é uma maravilha para o sangue e a circulação, além de ser docinha), prepare uma surpresa, porque elas vão se encantar com a cor e o sabor desse sorvete!

Fácil de fazer e rende 1 litro de sorvete.

SORVETE SURPRESA

Ingredientes:

Beterraba crua ralada 3 xícaras
açúcar 1 xícara
água 1 xícara
leite em pó 1 xícara
creme de leite 1/2 lata ou uma caixinha

Modo de preparo:

Leve ao fogo a beterraba ralada, o açúcar e a água. Na hora de mexer no fogão, melhor que seja você a preparar, nada de criança brincando com fogo!
Deixe cozinhar até formar uma calda grossa. Retire e bata no liquidificador com o leite em pó e o creme de leite.
Leve ao congelador por, no mínimo, 8 horas para servir.

Sirva acompanhando uma fatia de bolo de baunilha. A criançada vai adorar.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

ANIVERSÁRIO PIQUENIQUE CULTURAL



ôba!!! Tem festa de aniversário do piquenique na praça no domingo! Dia 09 de outubro é um dia muito especial pra mim, há 24 anos atrás eu dava a luz ao meu filho. Esdras é lindo, por dentro e por fora.(ô mãe coruja...) este ano será o nosso primeiro ano de aniversário que passaremos separados. Sempre comemoramos esta data nem que fosse só com um bolinho(num é que os bolinhos me acompanham? rsrs...:)
Neste domingo, vou comemorar o seu aniversário, mesmo fisicamente distante, em uma festa especial, o aniversário do piquenique cultural e vai ter muito bolinho, doces e chocolate! êba!!! Viva a vida! Viva o meu filho, vida longa, amor, saúde, paz, alegrias, harmonia e tudo de bom que a vida lhe oferecer!
O piquenique cultural é um evento que mistura todas as artes; literatura, artesanato, artes visuais, teatro, dança, cinema, música, e claro, gastronomia! Piquenique tem que ter lanchinho! Cá estou eu participando de mais uma edição do piquenique levando bolinhos deliciosos, chocolate quente e acompanhada de uma amiga que prepara licores diversos.
A festa vai acontecer na praça coronel pedro osório bem no centro da cidade de Pelotas, uma praça rodeada de prédios históricos belíssimos.
Sintam-se convidados a participar desta festa! Neste domingo, a partir das 14:00 o CoisdiVó estará lá marcando presença e temperando com gostosuras a tarde de domingo! Levem as crianças, tem atividades de pintura e muito espaço verde pra correr e brincar!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

BOLO DE ABACAXI E COCO

A receita de hoje na Radiocom 104,5FM é pro fim da tarde.
huummm...já posso sentir o cheiro desse bolo saindo do forno. Abacaxi com coco é mistura certa para ficar delicioso! Receita do livro Na cozinha com Dona Cora lá de Minas que comemorou 80 anos e os filhos resolveram compilar as receitas num caderninho muito simpático com jeitinho de boas memórias e gostosuras! Design do meu amigo Domingos Sávio, filho de Dona Cora.

Anote aí:

BOLO DE ABACAXI E COCO

Ingredientes:

1 xícara de chá de abacaxi bem picado
1 xícara de chá de coco fresco ralado
1 xícara de chá de manteiga
1 colher de chá de sal
1 lata de leite condensado
2 ovos
1 colher de chá de baunilha
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de fazer:

Misturar em uma panela, o coco, o abacaxi, a manteiga e o sal e levar ao fogo
mexendo sempre até levantar fervura. retire do fogo, deixe esfriar e misture o leite condensado. Acrescente os ovos batidos, a baunilha e, por último, a farinha de trigo peneirada junto com o fermento. Misture bem e coloque a massa em um tabuleiro forrado com papel impermeável e untado. Leve ao forno quente para assar por 35, 40 minutos.
Deixe esfriar, desenforme e corte em quadradinhos.

Dica minha: enquanto o calor não chega, acompanhe este bolo com um chá de melissa bem quentinho. é pra comer rezando... e depois relaxar...

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

PUDIM DE LEITE DE COCO

Hoje a receita na Rádiocom, é de sobremesa:

Pudim de leite de coco

Fácil demais de preparar! Veja aí:

Bater no liquidificador:

1 lata de leite condensado
1 lata de leite integral
1 vidro de leite de coco
4 ovos
01 colher de sopa de maisena

Colocar essa mistura em uma forma caramelada com
calda de açúcar queimado ou glicose de milho.
Leve a cozinhar em banho-maria.
Desenforme depois de frio e em um prato de porcelana bem bonito!

Servir gelado, de preferência no dia seguinte...humm... :)

Dica: Se quiser, pode colocar uma calda extra com ameixas pretas.

Essa receita está num caderno especial: Na cozinha com Dona Dora.
Ganhei de um amigo, foi a lembrança em comemoração dos 80 anos
de sua mãe, Dora. Como ele já conhecia meu trabalho com os livros
e a culinária e é também uma pessoa que gosta de se arriscar na
cozinha, deu-me de presente um exemplar. O design do livrinho
foi ele quem criou e ficou uma graça. A próxima receita também
sairá do livro de Dona Dora. Um bolo de coco e abacaxi.

CANELONE DE RICOTA E ABOBRINHA

Caríssimos, nosso blog ficará mais recheadinho a partir de hoje, vou postar aqui as receitas que estão indo ao ar na Radiocom 104,5 FM Pelotas.
Há um mês, comecei a colaborar na Rádiocom, com dicas de cozinha e receitas culinárias, no programa da manhã que tem apresentação do Zé Luiz. Recebi com muito carinho os pedidos das ouvintes que por algum motivo, não conseguiram anotar a receita durante o programa. Com isso, farei então duas postagens semanais de receitas e outras coisinhas em torno da comida. Do mês que passou, esta foi a mais pedida:

Canelone de ricota e abobrinha

Ingredientes para 4 pessoas
12 quadrados de massa
250 gramas de ricota
80 gramas de queijo parmesão ralado
1 ovo
2 abobrinhas pequenas
noz-moscada a gosto
300 gramas de molho de tomates
manteiga para untar
uma pitada de sal
pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Numa panela refogue as abobrinhas cortadas em rodelas em um pouco de azeite
Depois de refogadas, deixe esfriar e misture ao recheio de ricota.
Junte a ricota amassada com garfo, o ovo, o queijo parmesão e tempere com sal, pimenta-do-reino e a noz moscada.
Cozinhe os quadrados de massa, retire com uma escumadeira e deixe esfriar sobre um pano úmido. Coloque em cada um deles duas colheres de recheio e enrole.
Coloque os rolinhos recheados numa travessa refratária untada com manteiga.
Leve a travessa ao forno médio preaquecido por dez minutos. Sirva os canelones com o molho de tomates e queijo parmesão salpicado. Bom apetite!

Tempo de preparo: máximo de uma hora. Muito saborosa e saudável. Pode acompanhar um arroz integral com passas e uma saladinha de folhas verdes variadas.

Para aqueles que apreciam um vinho, a sugestão para acompanhar essa massa é um Carmenère argentino.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Receita preparada ao amor: Fettuccine a parisiense

Ah, o amor... o amor jovem, cheio de frescor. Ontem, meu filho me fez lembrar do primeiro jantar que fiz pro pai dele quando éramos namorados. Bem simples, foi a primeira vez que cozinhei e coloquei a mesa pra dois. O macarrão tipo espaguete e o molho de tomate comprado pronto...queijo parmesão ralado por cima. Que bom que os anos passam... e a gente aprimora...rsrs :) Lembro-me bem: a mesa redonda da copa, o tapete era verde, as cadeiras em tom acinzentado, havia uma janela comprida que dava pra área, um aparador em fórmica laranja e branco,com quatro portas _ lá minha avó escondia um pote de vidro onde ficavam os biscoitos doces pra visitas.Do outro lado, ficava um carrinho de bebidas; licores, vinhos, algumas taças e enfeites. Eu tinha dezesseis anos.

Eiii mamis...tudiu bem?! Viu que hoje eu ia cozinhar né?! To aqui na Paulinha esperando ela sair do banho para irmos lá pra casa. Fiz coisas que eu nunca tinha feito...só de ouvir as pessoas falando e de já ter visto alguém fazendo...Fiz um fettuccine ao molho parisiense...molho branco feito com leite, maisena, margarina, cebola, presunto em cubos, azeitonas picadinhas e mussarela em cubos! Tá supimpaaa, ela vai amar ao ver lá em casa...chorei tanto ralando cebola...kkkk...comprei morangos, uvas sem caroço e chocolates para fazer um fondue...depois com mais tempo te relato tudo que fiz bunitinho! TE AMO e amo cozinhar por ser "filho de peixe" né?! Beijãooo!

Esse relato é do meu menino lindo que irá completar 24 anos no mês que vem. E que saudades eu estou dele... ai,ai... Filho pra mãe é sempre um menino e num é que ele também gosta de cozinhar? E ainda prepara a mesa, acende velas. Fiquei cheia de alegria quando vi essa postagem dele ontem. E aí, deu vontade de compartilhar com vocês por aqui. Alegria, amor, ternura, sentimentos sempre bons de compartilhar.

O passo a passo da receita imagino ter sido assim:

Fettuccine a parisiense

Coloque um pacote de fettuccine para cozinhar em água com um pouco de sal e um fio de azeite. Enquanto isso, prepare o molho branco.
Rale uma cebola média e chore, porque chorar faz bem e faz parte...rsrsrs. Doure levemente a cebola em duas colheres de sopa de manteiga ou margarina, coloque as azeitonas, o presunto em cubos, misture, acrescente o leitee a maisena dissolvida num pouco de leite, em fogo baixo, continue misturando, coloque uma pitada de sal. Acrescente o creme de leite, deixando separado 3 colheres de sopa para fazer o fondue de chocolate. Misture e desligue o fogo. coloque os cubos de mussarela e misture levemente.
Veja se a massa já está no ponto, al dente e escorra, dê o choque térmico na massa com água fria para parar o cozimento. Misture o molho suavemente em um refratário bem bonito e especial. Sirva com azeite, queijo parmesão ralado e um bom vinho branco.

Eu colocaria também uma pitada de noz moscada ralada. Molho branco pede noz moscada, dá um toque especial.

A lista dos ingredientes:

1 pacote de massa tipo fettuccine
1/2 litro de leite
1 colher de amido de milho
2 colheres de margarina ou manteiga
1 caixinha de creme de leite(separe 3 colheres pro fondue)
1 cebola média ralada
300 gramas de presunto em cubos
200 gramas de azeitonas picadas
300 gramas de mussarela em cubos

A sobremesa: Fondue de frutas com chocolate
300 gramas de chocolate meio amargo, 3 colheres de creme de leite,
uma colher de sopa de conhaque
Derreta em banho maria o chocolate, misture o creme e o conhaque e coloque em um rechaud de cerâmica com vela em baixo para manter o chocolate levemente aquecido. Lave bem as frutas, nesse caso, uvas sem caroço e morangos, deixe de molho por alguns minutos em vinagre e enxague bem.
Coloque em uma travessa e sirva com muito amor, carinho e beijinhos! O amor está no ar!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Como água para chocolate



Já escrevi sobre este livro/filme aqui. Escrevo novamente para divulgar uma proposta interessante de Cineclube aqui em Pelotas que estou participando com o Coisdivó - Artes e Afetos. Nome do ateliê em Minas que estou trazendo pro sul com as novas produções em torno da memória, da culinária e da literatura.

O Cineclube1968 é um grupo de coletivos de Pelotas que tem se reunido periodicamente para dar força ao movimento cineclubista na cidade, possuindo curadorias de diferentes atuações e espaços alternativos de exibições. Denominado “Cineclube 1968”, referindo-se a um ano marcante e revolucionário, o cineclube teve duas primeiras exibições em agosto e segue com a terceira exibição, no próximo dia 10 de setembro exibindo:

“Como água para chocolate”. A expressão quer dizer: água a pique de ferver ou alguém a pique de explodir. Este livro, dividido em doze capítulos, tem um subtítulo original que adoro: Romance em fascículos mensais com receitas, amores e remédios caseiros. A narradora nos conta uma trágica história de amor através da cozinha. Vai descrevendo o modo de preparo dos pratos e contando as histórias, envolvendo as personagens. É como um conto de fadas, cheio de tramas impossíveis e românticas, girando em torno da comida, seus cheiros e sabores.

A autora é Laura Esquivel, a obra virou best seller e o filme mexicano de mesmo nome foi sucesso nas telonas, sendo premiado no festival de Gramado em 1993. Este filme será o primeiro da Curadoria do Coisdivó no Cineclube1968. O Coisdivó irá propor dentro do Cineclube1968, a temática em torno da literatura e da gastronomia e a escolha desse filme não poderia ser mais apropriada, um filme baseado em um livro que traz receitas de cozinha.

Foi a partir do encontro com esse livro e dos capítulos iniciados por receitas tradicionais de família que preparei a minha edição do Memória Culinária; Coisa de Vó. Por isso, foi com muito carinho que escolhi e farei a exibição desse filme e logo após a exibição poderemos conversar degustando um gostoso chocolate quente.
Sintam-se convidados a comparecer neste sábado as 17:00 no Sindicato dos bancários que fica na Tiradentes 3087 entre Santa Tecla e Deodoro. A sessão do Cineclube1968 é gratuita. Garanta seu lugar chegando um pouquinho antes. O espaço comporta apenas trinta lugares. A exibição se dará as 17:00.




Segue uma citação que gosto muito e está no Memória Culinária: Coisa de Vó junto da receita de torta de cebola que minha mãe preparava na minha infância, uma homenagem à ela e à Tita, protagonista da obra, que chorava tanto ao cortar cebolas que as lágrimas viravam sal e temperava as comidas.

Gertrudis cerraba los ojos cada vez que daba um sorbo a la taza de chocolate que tenía frente a ella. La vida sería mucho más agradable si uno pudiera llevarse a donde quiera que fuera los sabores y los olores de la casa materna.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

OFICINA DE CRIAÇÃO LITERÁRIA parte II


A oficina foi mesmo uma delícia! Textos, imagens, sons, cheiros, tatos, palavras, palavras, palavras...
Das leituras que fizemos compartilho hoje a receita saída da carta culinária do livro: Papel manteiga para embrulhar segredos, de Cristiane Lisboa. As receitas desse pequeno notável livro que me acompanha há cinco primaveras, são de Tatiana Damberg que escreve em um site lindinho chamado mixirica. O recheio especial do livro são as cartas culinárias de Antônia, que saiu fugida de casa para um lugar distante e vai aprender a cozinhar com uma chef, Senhorita Virgínia. De lá, ela escreve cartas salgadas e doces pra lá de delicadas e mágicas em papel manteiga a sua bisavó Ana.

FRANGO PIRATA (COM RUM E NOZES)

2 peitos de frango desossados
1/2 xícara de nozes picadas
1 colher de farinha de trigo bem cheia
meio copo de rum
um punhadinho de tomilho
1 colher de queijo ralado bem cheia
2 dentes de alho esmigalhados
raspas de limão
sal e pimenta

Corte o frango, misture o alho, o rum, o tomilho e as raspas de limão e coloque em um recipiente com tampa, ou em um saco plástico. Deixe marinar por duas horas. Em uma tigela, misture a farinha com as nozes e o queijo ralado. Passe o frango na mistura e asse em forno quente por 25 minutos, ou até ficar assado, porém macio. Dá tempo de colher flores no jardim para enfeitar a mesa.

Lembrança da Virgínia
Não esqueça de tomar um copo inteiro de rum enquanto cozinha. Pode dançar se quiser.

Então, aproveite a praticidade da receita, capriche na mesa e deixe o perfume e o sabor invadirem a casa! Vai bem acompanhando uma salada de folhas verdes e tomatinhos cereja. Bom apetite!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

OFICINA DE CRIAÇÃO LITERÁRIA

A programação de lançamento do primeiro Festival de Inverno de Pelotas, já está quase no final. São exposições, saraus, shows, apresentações teatrais e oficinas. Toda a programação com preços populares e em vários locais da cidade.
Então, a oficina que propus, de Criação Literária já está acontecendo e compartilho um pouquinho da literatura lida durante a tarde de hoje. Amanhã tem mais!
Do livro: Memórias Inventadas de Manoel de Barros, poeta que encanta.

IX - O apanhador de desperdícios

Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras fatigadas de informar.
Dou mais respeito às que vivem de barriga no chão
Tipo água pedra sapo.
Entendo bem o sotaque das águas.
Dou respeito às coisas desimportantes
E aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado pra gostar de passarinhos.
Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato de canto.
Porque eu não sou da informática
Eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios



Oficina de Criação Literária – Escrever com prazer: estimulando nossos sentidos.
Dias 09 e 10 de agosto, de 14:00 as 17:00, no Instituto Leda Bacci – Felix da Cunha, 857 – Pelotas.
Mais informações no blog: festivaldeinvernodepelotas.blogspot.com

domingo, 31 de julho de 2011

hoje plantei amor



Amor-perfeito. De cores variadas: amarelo ouro, lilás, branco e um na cor vinho. O dia amanheceu bonito, céu azul com nuvens bem feitas, branquinhas. Apesar do céu azul o clima está bem frio por aqui mas, saí animada para caminhar e decidida a comprar mudas de flores pra esse vaso grande que fica na varanda e nos últimos tempos estava bem feinho, só com trevos. Esse vaso já existia aqui quando compramos o apê, tinha uma folhagem bem velha que subia pela parede, poucas folhas e muita raiz exposta, precisando mesmo de um cuidado. Mantive uma raiz, cortei as folhas secas e a que subia pela parede, afofei a terra e nada mais fiz. Os trevos brotaram, parece que as batatinhas ficam esperando uma mexida na terra pra brotar. E o vaso ficou ali, esquecido na varanda. De vezenquando a gente jogava uma água e uma folhagem miúda resistia a nossa falta de atenção.
Cheguei de Minas Gerais com ânimo novo, apesar de estar sem voz e tossindo um bocado, consequência de um clima seco que encontrei por lá, umidade do ar em torno dos 20%, diferente da que já estou me acostumando aqui em Pelotas, que é uma cidade bem úmida, chegando a 80%. Enfim, estou me cuidando com muito própolis, mel, xarope e chás de guaco.
Agora o sol já se foi da varanda, ele passeia por aqui(quando as nuvens não aparecem) pela manhã e fica até a uma e meia da tarde, penso que o amor-perfeito vai gostar desse solzinho diário. A violeta que temos e fica na área de serviço onde também bate sol, tem gostado bastante, olha só como está florida! Fico encantada com ela, com o brilho que possui em suas flores brancas. A natureza é tão perfeita, tão inspiradora! Olho pra ela e suspiro, sou mesmo uma boba, romântica demais uns devem pensar, mas, não consigo passar por ela e não me encantar com a sua beleza natural.
Adoro as flores!

Todas as pessoas no mundo deveriam um dia colocar a mão na terra e sentir o cheiro quando a viramos e reviramos, tatear suas texturas diversas, enxergar os váriados tons. Lidar com a terra é uma sensação boa, única!
Um bom início de semana a todos!

sábado, 9 de julho de 2011

BEIJUS DE FELIZ ANIVERSÁRIO


Amanhã é dia do meu aniversário e como me mudei há cinco meses e pouco, estou presencialmente bem distante de dois dos meus amores; mãe e filho e de vários amigos. Tive a idéia de ficar no skipe _ uma espécie de ligação telefônica via computador, onde se pode ver a pessoa com quem fala se você possui uma webcam _ e conversar virtualmente com quem quisesse. Daí a idéia cresceu um pouco e ficou assim e foi compartilhada no facebook:

AMANHÃ É O MEU ANIVERSÁRIO E TAMBÉM DE MAIS OU MENOS 20 MILHÕES DE PESSOAS NO MUNDO!
PROPONHO RECEBER BEIJUS VIRTUAIS VIA SKIPE.

UM HAPPENING DE FELIZ ANIVERSÁRIO PARA COMPARTILHAR COM ANIVERSARIANTES DO DIA 10 DE JULHO.

Vai funcionar assim:

Amanhã dia dez de julho, estarei no skipe entre meio dia e duas da tarde. Neste período, meus amigos que queiram participar, me mandam beijos de feliz aniversário. Eu tiro uma foto desse beijo e vou arquivando. Depois das duas da tarde, junto esses beijus numa só imagem(ou várias, se forem muitas) e compartilho por facebook para outros aniversariantes.
Sintam-se convidados para o meu aniversário amanhã! E muitos Beijus!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Chás quentinhos pra esses dias frios...

Essas sugestões de chazinhos, passei pra um novo e bom amigo aqui de Pelotas, Zé Luís, ele é jornalista e locutor na RádioCom, 104,5Fm que dia desses me pediu umas dicas de chás pros ouvintes da rádio na parte da manhã. Com esse frio, vai ser uma boa!
A RádioCom comemorou dez anos em junho e eu tive o prazer de participar dessa festa, levando bolinhos mineiros e um choconhaque divino, onde conheci o Zé Luis que adorou o bolinho de mexerica!
A RadioCom é uma rádio comunitária, construída coletivamente por sindicalistas, trabalhadores, artistas, pessoas que se dedicam à causa da luta pelo direito de cada um poder expressar-se. E eu estou adorando conhecer essa nova turma! Bejus a todos, AnaI, Didi, Vanessa, Zé Luis, Roger, Fábio e outros que ainda não conheço... E cuidem-se nesse frio úmido dessa terra! bebam chá! :)


CHÁ DE LIMÃO

Maravilha da natureza, o limão! O limão cura tudo! Enxaqueca, gripe, coriza, resfriado e muito mais. Prepare um chá de limão. Deve ser feito com um limão cortado em rodelas e meio litro de água. Deixar ferver bem, durante uns quinze minutos, tampar, deixar descansar um minuto, coar e tomar de uma a três xícaras ao dia. Pra dar mais sabor ao chá, adoce com uma colher de mel.
O melhor é não sair no frio após a ingestão do chá. Minha avó dizia que não se deve sair no frio com o peito quente!
E para aquelas pessoas que estão com uma gripe forte, esprema meio limão e misture com uma colher de mel e uma dose pequena de cachaça. Beba a noite antes de deitar. Dá um suadouro de acabar com qualquer gripe! No dia seguinte tu tá novo! Indicado somente pra adultos.

CHÁ DE ALECRIM

Alecrim, seu nome Ros marinus, vem do latim e significa: “ O orvalho que vem do mar”.
O Alecrim é alegria, faz bem ao coração, ao estômago e intestinos. Tira a angústia do peito! Basta colocar um galho pequeno de erva fresca em meio litro de água e deixar ferver por quinze minutos. Desligue o fogo, tampe a vasilha e espere mais um minuto. Sinta o sabor e o aroma da erva fresca. É muito bom!
Coe e sirva com uma colher de mel, sempre que puder, evite o açúcar. Você pode usar o alecrim seco misturado a erva no chimarrão e no café na hora de coar, um pouquinho pra não alterar o sabor. O Alecrim também é muito usado para temperar carnes brancas, como o frango e peixes.
Ouça a rádio ao vivo: www.radiocom.org.br


"Partindo do pressuposto de que a comunicação é um direito de todos, a RádioCom 104.5 procura interferir na sociedade para transformá-la através de um processo plural, democrático e participativo na difusão das informações de interesse público. Queremos, através desse canal comunitário, mudar a concepção de comunicação social que existe na atualidade, onde o receptor tem pouca ou nenhuma interferência na construção da noticia. A informação deve pautar-se por interesses ligados a coletividade, procurando promover a inclusão social. Todas as ações promovidas pela RádioCom vão ao encontro da democratização da comunicação no Brasil, a qual se faz urgente. Somente assim, poderemos atingir uma sociedade verdadeiramente democrática e socialmente justa".

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Rosa Guimarães



"O senhor ... Mire veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra, montão."

João Guimarães Rosa
Grande Sertão Veredas



segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dá licença, eu, eu posso respirar?

Tantas possibilidades existem na minha frente e eu aqui, inerte. Respirando fundo olhando pra dentro de mim, pensando como vai ser, por onde começar e me perco, entro em pequenos caminhos, estranhos, encontro caminhos sem sentido, perco-me. Atrapalho-me pra retomar, parece um engasgo, parece que fico preso a alguma coisa que não sei o que é, tenho a sensação de que sou incapaz de fazer, de seguir. Tenho medos, muitos medos. Já fui mais corajoso, eu sei.
Sinto-me como um passarinho preso na gaiola. Tenho sempre que dizer o que estou pensando o que estou fazendo, como fiz, fiz assim porque, se já fiz. Sinto como se alguém estivesse me olhando todo o tempo, me vigiando, me supervisionando. Estou continuamente atento a relógios e tempos supostamente perdidos.
Choro baixo, não me altero, não esperneio, nem grito, tenho mantido a calma. Há tempos não quero mais histeria na minha vida, tento manter a ordem, mas minha cabeça não consegue se habituar a pensar tão preso, tão racional com tantos porquês. E isso não é ser irracional. Quero pensar por pensar, quero a liberdade de nada fazer, quero sonhar sonhos irrealizáveis, preciso tentar. Sinto-me preso, meu choro é contido, minha raiva, guardada. Sei que isso não faz bem, mas, ele diz que eu brigo demais por pequenas coisas, que critico demais, será? Dá licença, eu, eu posso respirar?
Daí que me calo, às vezes, dou sorrisos falsos, finjo não ouvir, não entender perguntas, que são muitas. Estou distante, me afasto de cobranças no olhar, evito o corpo, ando sem vontade de amor.
Como pode um pássaro há pouco tempo numa gaiola querer cantar? Ou será que a sabedoria do passarinho é maior que a minha e ele canta pra se sentir livre? Preciso aprender a viver nessa gaiola e reaprender a cantar. Alguém me ajuda?

sexta-feira, 3 de junho de 2011

OFICINA DE MEMÓRIA CULINÁRIA



Estamos em fase de divulgação de nova data e horários pra Oficina de Memória Culinária que desta vez, acho que vamos conseguir fechar uma turma!
Partilho com vocês o cartaz e abaixo segue uma receitinha bem leve, rápida de preparar e muito saborosa que fiz dia desses no almoço.

Preparei peixe assado com batatas e banana e também abobrinha italiana com maçã verde e passas. Pois é, comidinha saudável, mas depois, de sobremesa, comi duas colheres de doce de leite uruguaio...divino!
Ai, ai...nada de arrependimentos, senão, engorda duas vezes mais, só de culpa...rsrs...:D

Segue a receita da abobrinha:

1 abobrinha tipo italiana média lavada
1 maça verde média
Uma porção de passas
Meia cebola cortada em tiras finas
Queijo parmesão ralado grosso
Seis folhas de rúcula
Orégano para salpicar
Molho shoyu e Azeite para regar
Sal a gosto

Modo de preparo:

Partir a abobrinha ao meio no comprimento e depois,
fatiar em pedaços de 1cm de espessura. Fazer o mesmo
com a maçã, tirando a parte central dos caroços.
Preparar um refratário retangular ou
redondo, como preferir. Regue com azeite no fundo,
sem exageros. Vá colocando as partes de abobrinha e
maçã alternadamente até completar toda a tigela.
Coloque as folhas de rúcula por cima, regue com
molho shoyu, mais ou menos umas duas colheres de
sopa, salpique as passas, as cebolas fininhas, o
orégano com parcimônia e o queijo ralado.
Regue com mais um fio de azeite, cubra o
refratário com papel alumínio e leve ao forno
baixo por 30 minutos ou menos.

Comidinha pra dois!

quinta-feira, 26 de maio de 2011

e a fabriqueta de bolinhos continua... no PIQUENIQUE CULTURAL



Neste fim de semana vou participar do Piquenique Cultural, um evento itinerante realizado nas praças de Pelotas com diversas atrações culturais; música, literatura, moda, teatro, artesanato, culinária, exibição de curta metragem, trocas, mapa astral, enfim, diversão e arte para qualquer parte...

Com isso e com o sucesso e apreciação dos colegas com os bolinhos e broas mineiras de fubá, lá estarei, mostrando um pouco mais das minhas artes culinárias y otras cositas mas!

Dia 29 de maio, a partir das 10:00 até as 18:00, na Praça da Alfândega no Porto, aqui em Pelotas!

Quem mora por aqui, vai ser um dia lindo, cheio de alegria e diversão e mais: é gratuito!!

sábado, 21 de maio de 2011

Minha casa virou uma fábrica de bolinhos

Huum... Cheiros diversos invadiram a casa, mexerica, banana, laranja, broa de fubá assando. Então, esta semana estive a preparar bolinhos e broas. A minha oficina de Memória Culinária irá acontecer na próxima semana, consegui o espaço do Sest/Senat através de uma nova amiga que trabalha na empresa. _Obrigada, Fabi!!_ e como não consegui apoio financeiro para bancar a oficina _tentei poucos e não tive respostas_ estive a vender bolinhos pra arrecadar fundos e disponibilizar os materiais necessários em ingredientes das receitas e papéis diversos para nossos caderninhos de receitas artesanais. As broas e os bolinhos de mexerica ficaram deliciosos e fofinhos. Vendi a produção quase diária a conhecidos e colegas dos cursos que estou frequentando aqui em Pelotas. E aí, fui divulgando a oficina, entregando o panfleto, mostrando o livro, batendo um papinho com tem disponibilidade pra tal.
Tenho transitado na área da educação, com a disciplina pro mestrado, nas artes visuais com as aulas de cerâmica e as artes cênicas, com o grupo aberto de teatro universitário que o Dan coordena. Em casa me delicio com a culinária e ainda encontramos um tempinho pra um filme e uma boa música. Ontem fomos ao show do Leandro Maia no Teatro Guarany. Teve ótimo! Muito bons os sons e as letras das canções, Leandro é um poeta cantador. Dan operou a luz, todos os amigos estavam por lá. Hoje pela manhã, fui a um workshop, panela e voz com os músicos Marcelo Delacroix e Andrea Cavalheiro. Divertido tirar som de uma frigideira e uma colher de pau e criar uma orquestra de objetos diversos...

Ai, ai, as artes... As vezes fico pensando como tem gente nesse mundo que não se sensibiliza com quase nada, que não é tocado por quase nada ou que não tem acesso a quase nada disso. Mas isso é longa história que daria outra boa postagem.
Sinto-me feliz passeando por todas as artes, feliz com a nova empreitada, cavando espaço pra vida nova aqui nessa terra tão distante da minha. Não é tarefa fácil.

Contei tudo isso pra divulgar a oficina aqui no blog! Tudo por uma boa causa, uma causa em que acredito e algo a que desejo me dedicar nos próximos tempos, aulas que estimulem a sensibilidade em torno da cozinha e da literatura e aí entram as receitas culinárias, as cartas, poemas, canções, trechos de filmes, histórias de família, tradições, memórias afetivas de comida, receitas passadas de geração pra geração, orais ou escritas em antigos cadernos amarelados pelo tempo.
Tempo de memória, tempo outro de vivenciar, trocar, reviver, relembrar.

A oficina de Memória Culinária será nos dias 23, 25 e 27 de maio, de 14 as 18:00, no Sest/Senat, que fica no bairro Três Vendas, na Av. Idelfonso Simões Lopes, 1026. Telefone pra inscrições: 3284-1835. São apenas doze vagas. Valor da oficina: R$ 40,00 com todo material incluído. Para adultos que se interessam por culinária, literatura, artesanato e uma boa prosa!
Ah, este é o nosso cartaz de divulgação da oficina.

domingo, 15 de maio de 2011

o dia das mães


O dia das mães passou e eu passei em Beagá com meu filho minha sogra e minha mãe. Por aqui não passei. Deixo uma homenagem tardia, talvez por acreditar que dia de mãe é todo dia, toda hora mesmo. Esta foto tiramos mês passado no nascer da lua cheia, maravilhosa!
Um beiju a todas nós! Felicidades e alegrias aos nossos filhos!

BOLO DE MEXERICA

Bolo de Mexerica

Você vai precisar de:
1 ovo
2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara e meia de açúcar cristal
1 xicara de suco de mexerica
2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de fermento
Facílimo de fazer:
Misture a gema junto com a manteiga e
com o açúcar e bata bem.
Acrescente a farinha de trigo e o suco de
mexerica e torne a bater. Bata a clara em
neve e coloque junto à mistura mexendo leve-
mente, nesse momento também deve-se
colocar o fermento em pó e misturar.
Asse em forno médio por vinte e
cinco minutos. Esse tempo pode variar de
acordo com cada tipo de forno. É bom acender
a luz do forno e acompanhar o crescimento
após os primeiros vinte minutos.

Você pode ainda preparar uma calda
simples de chocolate que se faz assim:
2 colheres de sopa de chocolate em pó
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de manteiga
½ xícara de água
Leve ao fogo baixo e misture até ficar encorpada.
Coloque sobre o bolo quando estiver fora do forno.

Esta receita resolvi fazer dias atrás quando percebi a
fartura de mexericas disponíveis nas feiras e supermercados por aqui.
Estamos em época de mexericas. Aqui no sul se fala BERGAMOTA e
a receita que fiz hoje de tardinha usei as bergamotas que colhi daqui
do pomar que está carregadinho delas! O tipo carioca, de casca fininha
e sabor bem azedinho, cheia de sementes. Da outra vez, fiz a receita
com o tipo morgot, que é bem doce e de cor laranja bem forte, quase
vermelho, é linda quando a gente parte ao meio!
Ah, com as cascas fiz estas delícias aqui...mas deu um trabalhinho bom, viu?

Mexerica é uma boa fonte de vitamina C e também funciona como laxativo
devido as suas fibras.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Uma palestra

Acabo de chegar em casa após uma palestra. No recinto lotado com pessoas em pé, pelos corredores, gente no segundo piso só a ouvir pelas caixas de som, sem ver o palestrante. Mais ou menos 180 pessoas. Atentei pra uma coisa, oitenta por cento, mulheres. Pensei: é interessante observar isso, nós estamos tão ávidas, tão atentas assim por uma palestra, uma audição? Não, não pensei tudo isso, isso digo aqui, quero dizer, escrevo agora, o que disse foi: Nós, mulheres, estamos tão mais presentes e atentas, não é? Muito burburinho, muita conversa, até que a presidente da mesa pediu que fôssemos nos aquietando para darem início a palestra. Vagarosamente o silêncio aconteceu. Ele começou agradecendo a presença de todos e foi tirando de sua boca uma poesia linda, linda:

Por favor, não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu.
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
Quanto mais eu...
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor.

Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei o perfeito amor.


Mário Quintana, poeta das terras de cá. Os olhos já me enchiam de lágrimas...

E palestrou, palestrou...conflitos e desafios da modernidade, sim, estamos acelerados, sim, compramos mais do que necessitamos, sim, temos mais do que precisamos, fazemos cinco coisas ao mesmo tempo e ao final do dia, alguma coisa ainda ficou pra amanhã, sim, temos muito pra ser felizes e não somos. Pensei: desculpe-me, mas, eu sou feliz e agradeci por ser e estar ali ouvindo aquela palestra. Ouvir.
É necessário estar atento para mudar, é necessário caminhar junto com o tempo, com o nosso tempo, aquele em que se está inteiro, uma coisa de cada vez, e não nessa superficialidade e fugacidade. Precisamos de mais silêncio, estamos num mundo cheio de barulhos, ruídos. Que ironia, no mundo moderno, tão avançado, temos tecnologia pra nos facilitar a vida e ganharmos mais tempo, mas, não temos tempo...não dá tempo, estamos sempre atrasados... Ele palestrou, palestrou, fez citações diversas: onde desenvolve-se o amor não há medo... Olhai os lírios do campo...

Falou também dos excessos de alimentação, da necessidade biológica de prestarmos atenção aos sinais que o nosso corpo nos dá, de digestão e indigestão, de digerir também os pensamentos, dar tempo a eles, falou da necessidade de mudar certos hábitos que não nos fazem bem e insistimos muitas vezes em mantê-los e nos entupimos em remédios, enquanto, se mudássemos os maus hábitos, que nós sabemos quais são, o remédio talvez não fosse necessário. Consciência de cada um.
Uma consciência livre, contou uma história antiga de um rei arrogante e de um sábio bondoso que podia prever o futuro, da maldade humana, dos desenganos, das companhias ruins que estão em uma sintonia diferente da nossa e a gente permanece ao lado e perto delas, daqueles momentos que é necessário estar só consigo mesmo, só pra refletir um pouco, sem nada a fazer, nada mesmo, nada de tv, livro, celular, computador, nada, silêncio e você, um pouco todo dia. Porque não? Você pode.
Porque culpar-se? Porque temer? Nada vem para ti ao acaso. Nada. Tudo tem o seu tempo a sua hora. Aquieta-se. E terminou a palestra soltando de sua boca com firmeza leve palavras de Madre Tereza de Calcutá:

As pessoas são irracionais, ilógicas e egocêntricas.
Ame-as mesmo assim.

Se você tem sucesso em suas realizações,
ganhará falsos amigos e verdadeiros inimigos.
Tenha sucesso mesmo assim.

O bem que você faz será esquecido amanhã.
Faça o bem mesmo assim.

A honestidade e a franqueza o tornam vulnerável.
Seja honesto mesmo assim.

Aquilo que você levou anos para construir,
pode ser destruído de um dia para o outro.
Construa mesmo assim.

Os pobres têm verdadeiramente necessidade de ajuda,
mas alguns deles podem atacá-lo se você os ajudar.
Ajude-os mesmo assim.

Se você der ao mundo e aos outros o melhor de si mesmo,
você corre o risco de se machucar.
Dê o que você tem de melhor mesmo assim.


Bom, depois de escrever tudo isso, preciso dizer algo mais?
Ah, sim, esta palestra nos foi ofertada numa Casa espírita, uma casa fraterna, onde se pretende que as pessoas encontrem acolhimento, amor e um pouquinho de paz.

domingo, 17 de abril de 2011

Encantamento num domingo de chuva

Neste domingão com uma chuva que parece não querer parar, segue uma boa literatura pra aquecer e encantar...

"Em tardes de domingo, sempre muito longas e vestidas de sossego, a mãe se fazia crianças para os filhos.
Ao pé da escada, junto da porta da cozinha, estava o tanque. De cimento cinza, ele guardava a água fria que despencava do morro, escorregando dentro de bambus _ veias cristalinas. A umidade favorecia viver e crescer ali, musgos verdes, tapetes por onde pequenas formigas passavam, arrastando montes de folhas. Mesmo o olhar se sentia acariciado por veludo assim tão fino.
Com anilinas para doces a mãe coloria as águas do tanque, uma cor de cada vez, e mergulhava as alvas galinhas legornes em banho colorido: azul, verde, amarelo, vermelho, roxo. Em pouco tempo o quintal, como que por milagre, era pátio de castelo, povoado de aves _ legornes agora raras_ desenhadas em livro de fadas. Ficava tudo encantamento. Não havia livro, mesmo aqueles vindos de muito longe, com história mais bonita do que as que a mãe sabia fazer. Não era difícil para Antônio imaginar-se príncipe e filho de mágicos.
Quando o dia ameaçava esconder o sol, entre seios e montanhas, aquele inofensivo bando, filho do arco-íris que morava na cabeça da mãe, se empoleirava nos galhos das árvores, bailarinas em carnaval. Antônio olhava os galhos até não poder mais..."

Este pequeno trecho extraí de um livro apaixonante que sempre me vejo as voltas com ele: INDEZ, de Bartolomeu Campos Queirós.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Porque bateu saudade...



Essa fotos são da Escola Professor Jayme de Souza Martins. Fica em Itabirito, quem a dirige há vinte e cinco anos é minha tia Rosa, filha mais velha do Professor Jayme, meu querido avô, com quem troquei algumas cartas durante a infância, filósofo e educador durante toda sua vida. Esta turminha aí era a da tarde, quinto ano. Trabalhar nessa escola foi uma satisfação e uma alegria enorme pra mim. Por resgatar uma convivência familiar com meus tios e primos e por estar em contato com uma diversidade de crianças! Gosto muito de crianças, elas me emocionam, me cativam.
As salas da escola são de poucos alunos e a relação do professor é mais próxima o que nos faz estabelecer uma relação de afeto com eles, sentimento que me move/motiva e me faz acreditar na educação como um processo transformador. Não acredito numa educação distante deste tipo de relação. Sempre busco por isso, pelo olhar atento, por cuidar, pela simplicidade, pelo afeto. Não que isso não possa ocorrer em outras escolas e com turmas maiores. Ou que não exista educação sem afeto. Há, mas, encanta, transforma?
Eu até poderia desenvolver esse assunto mas, hoje, trouxe essas fotos e essa receita pra matar a saudade...
Foi a aula de Guacamole. As crianças do quinto ano estavam estudando e se preparando para a apresentação dos trabalhos sobre o continente americano e eu resolvi preparar junto deles uma receita típica do México. Como uma boa parte dos alunos adora salgadinhos empacotados(essas porcarias feitas de gordura hidrogenada muito sódio e farinha), o Guacamole poderia agradar já que tradicionalmente, ele é servido em tortilhas, que lembram os doritos da elma chips. Nem tudo é perfeito! Rsrsrs... Pedi a alguns que trouxessem pra aula os abacates, ingrediente principal da receita e para outros pedi os pacotes de salgadinhos. Teve um aluno muito especial, que trouxe também um potinho de pimenta, lembrando que no México eles gostam de comida bem temperada e apimentada.
Anotamos a receita, observamos a estrutura do texto, comentamos os cadernos de receitas das mamães, alguns comentaram sobre as receitas na TV e uma aluna chegou a falar do caderno de receita de sua avó, que fazia um pavê que ela adorava...
Num primeiro momento eles torceram o nariz pra receita de Guacamole, abacate com tomate? E cebola? Argh... a maioria adora vitamina de abacate ou abacate amassado com bastante açúcar! Aí foi a hora do Huuumm... quase geral na sala!
Durante a preparação, os olhinhos já estavam brilhando e as bocas salivando pra provar aquela mistura esquisita. E ficou muito bom! Levamos o Guacamole em outra sala pra turma de lá conhecer e provar também. Eles explicaram pros colegas quais ingredientes tinham ali e teve aluno que não quis provar, outro adorou o guacamole com pimenta e ficou com o rosto vermelhinho, porque abusou na quantidade dela e saiu correndo pra beber água...
No final do semestre, na apresentação do trabalho interdisciplinar que ficou superbacana, envolvendo toda a escola, refiz a receita pros pais e visitantes. Imprimimos a receita num papel amarelo em formato triangular lembrando o doritos e distribuímos pra quem quisesse preparar a receita em casa. Alguém pode perguntar, mas, a Junelise dá aula de quê mesmo? Pois é, minhas aulas pra essa turma eram de Literatura e Produção de texto!
Ah, segue a receita:

GUACAMOLE

Polpa de dois abacates médios maduros
1 tomate médio bem picadinho
1 cebola pequena ralada
1 colher de chá de sal
caldo de um limão

Amasse a polpa do abacate com um garfo e misture todos os ingredientes restantes. Tempere com sal aos poucos até ficar a seu gosto.
Sirva acompanhado de salgadinhos tipo doritos, que é feito de farinha de milho.
A pimenta é a gosto também.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Doce de goiaba pastoso

Aqui pelas bandas do sul, as águas de março fecharam o verão com um bocado de estragos em diversas cidades, infelizmente, e o friozinho já começa a aparecer ao cair da tarde. Estamos em época de goiabas! Onde moro tem um pomar superbem cuidado com certa variedade de frutas - abro um parêntesis: moro em um condominio que possui treze prédios! Pois é, e posso pegar as frutas quando estão maduras, poucas pessoas o fazem, estão tão ocupadas em trabalhar e ver televisão ou ficar na frente do pc (como eu agora)que não vejo gente catando frutas, com exceção dos funcionários, ( será que os moradores têm vergonha de pegar frutas no pé?)
Vejo uma das frutíferas pela minha janela, é uma goiabeira. Esta não nasce aqui, nasce no terreno da casa ao lado mas como ela é grande, cresce toda pro lado de cá também e no chão todo dia tem goiabas maduras. No sábado que passou, eu e Dani fomos pegar goiabas. Foi engraçada a cena: Eu, no último degrau da escada segurando com uma mão uma parte do guarda-sol, a que parece um cabo de vassoura e a outra tentava pegar os galhos e baixá-los e Dani com o guarda-sol amarelo aberto de boca pra cima para pegar as goiabas que eu ia derrubando com muito cuidado. Quer dizer, nem sempre... uma eu acertei o nariz do Daniel, outra a cabeça, outras tantas ele conseguiu recolher, outras despencavam no chão de tão maduras, enfim...rimos um bocado e voltamos pra casa com o guarda-sol amarelo cheinho de goiabas! Um vizinho que tirava o carro da garagem nos lembrou do pé de caqui que também está repleto de frutas maduras e grandes! Mas, deixamos os caquis pra outro momento. Ah, tirei fotos desta vez! Devo confessar que ficaram razoáveis...

Bom, depois de lavarmos as frutas e o guarda-sol, começei a selecionar e tirar aquelas cascas meio esquisitas, cascorentas que as goiabas comuns, naturais, digo, sem agrotóxico têm. Essas têm sabor! E pensei de encontrar bichinhos também, mas, pasmem, nenhum bicho de goiaba pra contar história(só eu mesma pra contar). Os tamanhos variavam bastante e a textura também, fui limpando, cortando e comendo! Ficaram assim, já prontinhas pra qualquer receita:

Separei um pouco pra fazer sucos e congelei. Com o restante já tinha decidido que ia virar doce, daí precisei triturar com um mixer e coar a polpa com uma peneira. Olha só como é bonita a cor, gozado, que eu estava com um vestidinho cor de goiaba. Rsrs...:) Só botei reparo nisso quando começamos a tirar as fotos. Bom, após todo o trabalho de coar, misturei duas xícaras de açúcar cristal, tinha um litro e meio de polpa já coada. Depois, foi passar tudo pra panela - ai,ai, cadê meu tacho de cobre? - e levar ao fogo baixo mexendo sempre, isto durou uns trinta minutos ou mais, até o fundo da panela começar a aparecer e o doce ficar bom pra comer de colher, do jeitinho que nós gostamos!

Pena que foto não tem cheiro (ainda) porque neste momento, a cozinha estava perfumada...
Uma delícia pra passar numa torradinha, pra rechear um pão, pra comer com aquela fatia especial de queijo mineiro. Hum...bom dimais da conta sô!
Ah, a foto do doce pronto não ficou boa...rsrsrs...Bjus
Ah, querem saber mais sobre goiabas? No blog da minha querida amiga Rosaly, tem outras receitas e dicas nutritivas sobre a fruta, anote aí: quitandasdeminas.blogspot.com

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Ando cozinhando muito...

Ontem fiz pães. E ficaram bons, nossa...nem eu acreditei na fofura e textura que eles ficaram. É que fiz a tarde e deixei os pães descansando até as nove da noite e, puxa, me deu um trabalhão depois. As massas cresceram muuiito! Um deles, o salgado, que leva parmesão já estava numa forma dessas, tipo marinex redonda e cresceu bem, mas, tinha espaço. O outro, com recheio cremoso de goiabada, ah, esse se espalhou pelo forno todo! Eu já os tinha deixado no forno pra crescer, fácil, depois é só acender o fogo...daí que tive que recolher toda a massa que estava caída na tampa que, ainda bem, tava limpinha;) e pude fazer um pãozinho redondinho com ela;) Sem desperdícios!! E desparafusei a tampa, recolhi o que estava no fundo e essa outra massa, claro, foi pro lixo, limpei e lavei o que era necessário pra, enfim, poder acender o fogo, ufa...Mas valeu dimais...adoro pães e o perfume que exalam em casa.... Pena que minha câmera não é lá uma canon pra tirar fotos boas de pertim, daí, fica o post sem imagem mesmo, mas, tem a receita! Hoje segue só uma e a outra vem noutro dia junto com meu passeio pela feira de produtores daqui... a saudade de todos os amigos e meus amores em Beagá tá grande e hoje vou dedicar esta postagem a uma amiga que sempre me inspirou a preparar pães e misturar ervas na cozinha e hoje além de outras funções é uma banqueteira das boas: Patrícia Brito.

Pão salgado com parmesão e orégano

1 copo de 200ml de água
2 colheres de sopa de azeite de oliva
2 colheres de sopa de açúcar
4 colheres de queijo parmesão ralado grosso
1 colher de sopa de orégano
1 colher e meia (chá) de sal
1 colher (chá) de alho em flocos
3 copos de farinha de trigo especial
2 colheres (chá) de fermento biológico seco instantâneo

Misture todos esses ingredientes em uma vasilha grande e misture bem com as mãos. Com todo carinho que uma massa dessas merece...depois de homogênea, bata um pouquinho, que pão também gosta de uns tapinhas pra crescer. Melhor do que dizer sovar. Eu acho...Rsrsrs...
Bom, depois, coloque em uma assadeira enfarinhada. Não precisa untar. Deixe crescer, se possível, mínimo de duas horas, e asse em forno quente por vinte minutos.
Delicie-se com o aroma e depois, separe um bom vinho tinto e sirva acompanhado de queijos e azeite.
Buon Apetit!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

BOLO DE CHOCOLATE COM SUCO DE MARACUJA

Tenho aproveitado muito o tempo que ainda está livre me deleitando na cozinha(as férias aqui vão até o final de fevereiro). Dia desses atrás fiz um bolinho, tinha os ingredientes todos mas, faltava o leite, daí, usei os maracujás que estavam na fruteira e que tinham sido colhidos em Garopaba, Santa Catarina. Ficou um sabor diferente, Dani ficou sem saber se tinha gosto de banana... um casal de amigos a quem ofertei um minibolinho achou que tinha goiabada...rsrs. De qualquer maneira, todos gostamos muito! Segue a receita:

BOLO DE CHOCOLATE COM SUCO DE MARACUJÁ

Ingredientes:

1 xícara de farinha de trigo integral
1 xícara de farinha de trigo branca
1 xicara de achocolatado em pó
1/2 xícara de açúcar cristal
2 ovos
2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa rasa de fermento em pó
Suco de dois maracujás sem as sementes

Modo de preparo:

Bater bem os ovos, depois juntar a manteiga e o açucar
e bater mais um pouco até ficar bem amarelinho. Depois,
coloque o achocolatado, as farinhas, o suco e o fermento.
Misture bem. Aqueça o forno, coloque em forma média untada
e asse por mais ou menos 30 minutos em fogo médio.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

RECEITA DE BEM VIVER

Cá estamos instalados na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. É aqui que eu e Dani vamos nos fixar por um tempo. Há oito anos juntos, ainda não tínhamos vivido de fato juntos sob o mesmo teto. Nova vida, novas perspectivas, um novo que soa estranho as vezes, partilhar de coisas e espaços. Tirando das caixas objetos e roupas, encontrei um pequeno banner que vai ficar num lugarzinho na cozinha, com uma receitinha importante pra vida da gente e diz assim:


RECEITA DE BEM VIVER


Ingredientes:

1 quilo de amor
1 dúzia de felicidade
3 xícaras de afeto
500 gramas de tolerância
200 gramas de compaixão
100 ml de carinho
1 pitada de sensibilidade

Misture tudo, deixe dobrar de tamanho e reserve.

Recheio:

1 xícara de alegria
200 ml de humor
1 colher bem cheia de ternura
100 gramas de delicadeza

Misture bem devagar e reserve.

Cobertura:

1 dúzia de sorrisos
1 pitada de luz

Coloque em fôrma untada com sonhos, recheie e ponha a cobertura. Asse no forno da vida a 380 graus por uma eternidade, de preferência, e pronto. Saboreie bem devagar e viva gostosamente Feliz.

Então, tentemos!!

O texto é de propriedade da Aurora Boreal, de Belo Horizonte, que fabrica banners e ímantados artesanais com textos graciosos e delicados como esse, infelizmente, não sei o nome do autor.